segunda-feira, 30 de novembro de 2009

...

A animala descobriu recentemente que tem imensa piada enfiar-se dentro da chaminé durante a madrugada e depois berrar de desespero porque não consegue sair...
Ou seja, dormir lá em casa a partir das 5 da manhã é uma tarefa detestável... Morde-me os pés, berra a portas fechadas, enfia-se na chaminé à espera que a vá buscar e, sistematicamente, esvazia-a do seu conteúdo negro para cima do fogão...

domingo, 29 de novembro de 2009

Yes! Tardei...

Descobri ontem que era suposto ter objectivos e planos para a minha vida...
É tarde, já me podias ter dito antes!

Estranha Forma de Vida


Mahmoudis ahmadinejadae

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Sarjetas



Perante dias propositadamente levianos, há sarjetas que nos lembram que continuamos a ser demasiado frágeis...

Imbecil?

"Imbecilidade é, em psiquiatria, o grau intermediário da tríade oligofrénica, e os indivíduos portadores de imbecilidade são acompanhados de um certo grau de desenvolvimento intelectual que os permite um mínimo aprendizado.

O imbecil é caracterizado por sujeitar-se facilmente às sugestões, podendo constituir-se em perigo a outrem, por conta disso: se sugestionado para o mal, não têm os freios morais para questionar.

Em geral, não se afeiçoam à vida familiar, mas em contrapartida gostam de animais.

Não possuem condições para a própria subsistência."

Apologia Microscóspica do Desporto...



Imagino que estes núcleos pertençam a células de um desportista... Depois de várias horas sentada numa cadeira a olhar para um microscópio, eis que me lembram de novo que não faço desporto nenhum...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

No Teu Poema

No teu poema
existe um verso em branco e sem medida,
um corpo que respira, um céu aberto,
janela debruçada para a vida.
No teu poema existe a dor calada lá no fundo,
o passo da coragem em casa escura
e, aberta, uma varanda para o mundo.
Existe a noite,
o riso e a voz refeita à luz do dia,
a festa da Senhora da Agonia
e o cansaço
do corpo que adormece em cama fria.
Existe um rio,
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe o grito e o eco da metralha,
a dor que sei de cor mas não recito
e os sonhos inquietos de quem falha.
No teu poema
existe um cantochão alentejano,
a rua e o pregão de uma varina
e um barco assoprado a todo o pano.
Existe um rio
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe a esperança acesa atrás do muro,
existe tudo o mais que ainda escapa
e um verso em branco à espera de futuro.

José Luís Tinoco

sábado, 21 de novembro de 2009

Ai...

Dois cabelos brancos, uma ruga na testa e um relógio biológico que se habituou a acordar cedo e me faz despertar às 7:30 da manhã de Sábado...

Preciso de ajuda!!!!!!

sábado, 14 de novembro de 2009

Apanhadas



Sim... É verdade... Estávamos mesmo cansadas....

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

S. João



"Ainda te lembras amor
Como tudo começou?
Se te esqueceste eu nao...
Nosso primeiro beija-beija
Foi atras da Igreja
Num bailarico de Verão..."

:)